Hub Insights

Serviço de Staking da Chainlink começa amanhã (06/12)!

Chainlink Staking

Amanhã (06/12), veremos o aguardado lançamento do modo beta v0.1 de staking de LINK na rede Ethereum, recurso que integra uma nova fase do projeto que é chamada de “Chainlink Economics 2.0” e tem por objetivo aumentar as oportunidades de ganhos de recompensas dos detentores do token LINK por estarem ajudando a aumentar a segurança econômica dos serviços de oráculo. O programa de staking da Chainlink estava originalmente dividido entre as seguintes fases:

Inicialmente, foi decidido que o período de bloqueio será de 12 a 24 meses. A decisão foi tomada com base em um “ciclo de lançamento conservador” que inclui recursos mais avançados em cada etapa de lançamento, como podemos ver acima.

A Chainlink ressaltou que o desenvolvimento de contratos inteligentes geralmente envolve ciclos mais longos para minimizar a necessidade de duplicar as auditorias e os esforços de engenharia.

No entanto, após debater diretamente com membros da comunidade e com os operadores de “nodes”, o time de desenvolvimento do protocolo entendeu que há uma necessidade por um processo de iteração mais rápido e com lançamentos mais frequentes.

Desta forma, decidiram planejar uma próxima versão do staking (v0.2) para ser lançada em 9-12 meses, momento em que os stakers da v0.1 (que começará amanhã) poderão desbloquear ou migrar suas LINKs stakadas e suas recompensas.

 

 

Chainlink Staking v0.1: O que é e como funcionará?

Em síntese, essa primeira fase (v0.1) consistirá em um pool de staking que suporta o feed de dados (“Data Feed”) ETH/USD na rede principal da Ethereum. Na prática, o que irá acontecer é que os usuários ganharão recompensas por ajudar a proteger os dados do serviço de oráculos ao participar de um “sistema de alerta descentralizado” que indica se o feed de dados cumpriu ou não determinados requisitos de desempenho em relação ao seu tempo de atividade.

É importante destacar que o lançamento beta do Chainlink Staking v0.1 que acontecerá amanhã na Ethereum só estará disponível para endereços qualificados para “acesso antecipado”. Essa elegibilidade foi determinada por critérios específicos de atividade on-chain e off-chain, o que pode ser verificado por meio da carteira dos usuários. Descrevemos melhor o processo no seguinte artigo:

Chainlink anuncia lançamento da versão beta do Staking para dezembro!

Tais usuários qualificados poderão realizar o staking de até 7.000 LINKs cada em uma staking pool limitada.

Se você ficou triste com a notícia, acalme-se!

No dia 8 de dezembro, no entanto, a staking pool será aberta ao público em geral para que todos outros detentores de LINK possam participar. Esse processo acontecerá mais especificamente às 14h no horário de Brasília.

O staking pool será inicialmente limitado a 25 milhões de LINK, representando aproximadamente 5% da oferta atual em circulação e 2.5% da oferta total. Há planos de escalar até 75 milhões de LINK ao longo do tempo.

É válido destacar que antes do lançamento do staking, os usuários da Chainlink precisavam rodar seus próprios nodes para conseguirem receber recompensas em LINK.

Agora, o novo recurso expande essa possibilidade e efetiva novos caminhos para a geração de recompensas também aos detentores do token, o que vem aumentando a demanda pelo ativo.

Mais informações detalhadas e técnicas sobre o processo de staking podem ser encontradas clicando aqui.

 

Baleias e tubarões acumulam LINK de forma intensa

Desde o fundo formado em US$ 5.538 no dia 21 de novembro, o preço do token LINK chegou a se valorizar mais de 41%. Os endereços de “tubarões” e “baleias” que possuem entre mil e um milhão de LINKS passou recentemente por uma forte onda de acumulação sem precedentes na história, adicionando um total de 26.8 milhões de LINKS (US$ 194.3 milhões) às carteiras em apenas 2 meses, o que representa um aumento de 12.8% nas posições.

Fonte: Santiment

 

É super importante destacar, também, que em função do colapso da FTX/Alameda e do recente movimento de “Proof-of-Reserve” das exchanges centralizadas, trazendo transparência e clareza aos investidores, a demanda por serviços de oráculos pode aumentar ainda mais, contribuindo para o bom desempenho do token. A Chainlink Labs lançou seus serviços de auditoria de “prova de reservas” para corretoras em novembro de 2020.

Caio Goetze

Formado em Direito pela PUC-RJ e pós-graduando em Direito Digital pelo Instituto de Tecnologia e Sociedade (ITS) em parceria com a UERJ, conta com 3 anos de experiência e diversos cursos de formação acadêmica de bagagem no “criptomercado”.

Compartilhe este conteúdo nas redes socias!

Posts relacionados

plugins premium WordPress