Hub Insights

Nasdaq fornecerá serviços de custódia para institucionais!

Nasdaq - hub do investidor

A Nasdaq, segunda maior operadora do mercado de ações dos Estados Unidos, anunciou ontem o lançamento do “Nasdaq Digital Assets”, seu novo negócio que será voltado para fornecer serviço de custódia de criptomoedas, mais especificamente bitcoin (BTC) e ether (ETH), para investidores institucionais do país.

Com isso, a empresa vê um novo capítulo de sua história sendo escrito, tendo em vista que havia decidido, até então, por não competir dentro deste ramo bastante concorrido onde já temos a presença de players consolidados atuando, como Coinbase, BitGo, Gemini, BNY Mellon, entre outros.

Agora, o novo serviço da Nasdaq passa a depender apenas de aprovação regulatória.

O movimento de aproximação com os criptoativos, no entanto, não é necessariamente novo, e já podíamos perceber alguns passos que vinham sendo dados nesta direção.

No ano passado, a exchange lançou um “Digital Assets Curriculum” para consultores financeiros em parceria com a Hashdex, onde o intuito era fornecer recursos informativos e educacionais sobre a evolução do ecossistema de ativos digitais, considerações de investimento, regulamentação, impostos, entre outros pontos, qualificando os profissionais.

Mais recentemente, em 12 de maio deste ano (2022), a Nasdaq realizou uma parceria com a maior corretora do Brasil, a XP, no intuito de lançar uma plataforma de negociação de criptoativos no país chamada XTAGE.

O planejamento inicial se consolida em oferecer serviços de compra e venda também das duas maiores criptomoedas em termos de capitalização de mercado, bitcoin e ether, com previsão de posterior expansão.

Para a nova empreitada de agora, no entanto, a Nasdaq Digital Assets será liderada por Ira Auerbach, que atuou como chefe da Gemini Prime.

Importante esclarecer que um outro executivo da Nasdaq, Tal Cohen, esclareceu que empresa já oferece ferramentas de segurança e vigilância para empresas de criptomoedas, mas não pretende oferecer, pelo menos por enquanto, serviços de troca entre criptoativos. A possibilidade futura não é descartada, mas dependerá de uma análise do ambiente regulatório e competitivo que se estruturar.

Portanto, a ideia inicial é focar mesmo no desenvolvimento de soluções de custódia que incorporarão serviços de liquidez e execução, contando, para isso, com a utilização de atributos tanto de “hot wallets” quanto de “cold wallets”. Se você não sabe o que isso significa, temos um artigo específico sobre o tema.

Assim, com as altas quantidades de casos de “hacks” envolvendo criptomoedas na história, o serviço de segurança é uma necessidade central e crucial para o desenvolvimento do ecossistema.

E não é só a Nasdaq eu está de olho em cripto: vale lembrar que, em agosto, a Blackrock fez parceria com a Coinbase para fomentar e facilitar a utilização e negociação de bitcoin. Na semana passada, Fidelity Digital Assets, Charles Schwab e Citadel Securities anunciaram o lançamento de uma exchange chamada EDX Markets. Ainda, vimos o JPMorgan Chase construir uma plataforma de negociação baseada em blockchain, movimento que pode ser seguido pela Goldman Sachs.

A conclusão que tiramos não é nada surpreendente: os maiores nomes de Wall Street estão apostando em criptomoedas, e isto – ainda bem – é uma tendência sem volta.

Caio Goetze

Formado em Direito pela PUC-RJ e pós-graduando em Direito Digital pelo Instituto de Tecnologia e Sociedade (ITS) em parceria com a UERJ, conta com 3 anos de experiência e diversos cursos de formação acadêmica de bagagem no “criptomercado”.

Compartilhe este conteúdo nas redes socias!

Posts relacionados

plugins premium WordPress