Hub Insights

Maior redução em reservas de exchanges da história do mercado cripto!

Você não leu errado! Ontem (23/11), as corretoras viram o maior êxodo de todos os tempos de fundos dos usuários para fora de suas plataformas, de acordo com dados on-chain. Aproximadamente 178.683,13 BTCs deixaram as reservas de exchanges em um único dia.

reservas exchanges

Fonte: Blocktrends

 

Desde o colapso da FTX, o movimento de “corrida bancária” tem se intensificado, fazendo os usuários sacarem os ativos de players centralizados a fim de realizarem a autocustódia das suas moedas.

Uma reportagem da Coindesk afirma que US$ 3 bilhões em cryptos deixaram as principais exchanges logo após as notícias de falência da FTX à época, tendência que segue vigente, refletindo no movimento visto ontem. Na verdade, após a saída de quase 140.000 BTCs das exchanges em 9 de novembro, os usuários diminuíram o ritmo dos saques, atingindo uma mínima de retiradas em 19 de novembro, quando retiraram apenas 19.000 BTCs. No entanto, de lá para cá, essa tendência se inverteu.

Agora, o indicador “Exchange Net Position Change” da Glassnode, que abarca as 20 maiores corretoras do mundo, coloca a variação de 30 dias do suprimento de BTC mantido em carteiras de exchanges em patamares de -178.683,13.

  • Antigo caso Mt. Gox também movimenta moedas on-chain

Destacamos também que a plataforma CryptoQuant ligou um alarme com relação a uma grande parcela de BTCs oriundos do hackeamento da corretora Mt. Gox em 2014. De acordo com o CEO da plataforma, Ki Young Ju, os fundos roubados estão em movimento, com 65 BTCs enviados para a corretora HitBTC.

reservas exchanges

Fonte: Twitter

 

Uma pesquisa da Chainalysis também observou a movimentação em massa de moedas relacionadas ao episódio da MT. Gox, posteriormente associadas à antiga exchange BTC-e, que foi fechada em 2017. Várias corretoras, juntamente com carteiras privadas, receberam bitcoins da BTC-e nas últimas semanas.

Fonte: Chainalysis – Movimentação de ativos on-chain

 

A movimentação de moedas antigas em setembro já vinha demonstrando bastante atividade e gerando medo no mercado em função do processo de ressarcimento dos usuários a partir de uma parcela reavida dos fundos da Mt. Gox. Com o recebimento de bitcoins antigos, mesmo com a queda do cenário, usuários de 2014 poderiam despejar os ativos ainda com lucro no mercado.

Caio Goetze

Formado em Direito pela PUC-RJ e pós-graduando em Direito Digital pelo Instituto de Tecnologia e Sociedade (ITS) em parceria com a UERJ, conta com 3 anos de experiência e diversos cursos de formação acadêmica de bagagem no “criptomercado”.

Compartilhe este conteúdo nas redes socias!

Posts relacionados

plugins premium WordPress