Hub Insights

Bitcoin representa mais de 11% do caixa do governo dos Estados Unidos

bitcoin Estados Unidos

A discussão sobre o teto de gastos da dívida pública norte-americana é a pauta do momento. Atualmente, o teto é de US$ 31,4 trilhões e foi fixado em julho de 2021. No entanto, de acordo com a Secretária do Tesouro, Janet Yellen, os Estados Unidos não conseguiriam mais honrar seus compromissos a partir do dia 5 de junho caso não houvesse uma elevação ou suspensão desse teto, uma vez que possuem apenas cerca de US$ 50 bilhões em reservas, valor bem inferior à média histórica de US$ 600 bi.

Com um déficit de quase 1 trilhão em 7 meses e, portanto, uma crise evidentemente estabelecida gerando apreensão pelo risco de “default” norte-americano, Biden teve que negociar novos moldes com o Congresso, que passou a pressioná-lo. Esse tipo de negociação não é novidade e foi visto em diversos momentos da história quando o governo dos EUA chegou próximo do calote.

Nos últimos dias, portanto, o presidente democrata Joe Biden chegou a um acordo com o deputado republicano e presidente da Câmara, Kevin McCarthy.

Desta vez, ficou decidido preliminarmente, entre outros pontos, que o teto da dívida ficará suspenso até 1º de janeiro de 2025. A proposta foi aprovada em seu primeiro grande teste nesta terça-feira (30) no Comitê de Regras da Câmara. Mas, como qualquer bom jogo político, a discussão não foi nada fácil. Em troca do apoio dos republicanos, veremos uma limitação dos gastos federais por dois anos.

Mas o que isso tudo tem a ver com Bitcoin e criptomoedas?

Você se lembra que falamos sobre a reserva de US$ 50 bi dos EUA?

Pois bem, mais de 11% dela é composta por nada menos do que bitcoins. Atualmente, o governo norte-americano possui uma reserva significativa de 205,515 BTC, o que equivale a aproximadamente US$ 5.554.453.905 considerando a cotação atual do ativo (US$ 27.027) no momento em que escrevo este artigo. Este montante representa cerca de 1,06% da oferta total circulante de bitcoin!

 

reservas de bitcoin do governo dos Estados Unidos

 

 

No dia 07 de março, tivemos a última movimentação registrada dessa carteira até então, quando governo norte-americano moveu cerca de 40000,3273 BTC no que aparentaram ser “movimentações internas”. Você pode consultar os detalhes da transação clicando aqui nos respectivos links abaixo:

Blockchain.com

transações de bitcoin dos Estados Unidos

 

Mempool.space

Bitcoin, fluxo, entradas e saídas e os Estados Unidos

 

Mas, afinal, que bitcoins são estes? De onde vieram?

Ao que tudo indica, estes BTC têm como origem a condenação de James Zhong, um hacker que roubou moedas do antigo Silk Road, um marketplace da Dark Web que ficou conhecido como o “eBay das drogas” onde os usuários podiam comprar os mais variados produtos de forma clandestina, que iam desde itens convencionais até armas e, claro, drogas. Uma das características distintas do Silk Road, no entanto, era o uso exclusivo de bitcoin como forma de pagamento.

O Silk Road foi criado por Ross Ulbricht, conhecido pelo pseudônimo de “Dread Pirate Roberts”, e passou a operar a partir de 2011. O rápido “sucesso” da plataforma chamou a atenção das autoridades.

Em 2013, o FBI – em conjunto com o serviço secreto norteamericano e a DEA – realizou uma operação chamada “Operação Onymous” onde conseguiu identificar e prender Ross. A agência também rastreou algumas das transações associadas ao Silk Road e apreendeu cerca de 144.000 BTCs que, na época, valiam cerca de US$ 122 milhões.

 

Mas o que isso tudo tem a ver? E o tal do James Zhong? Pois bem…

Em 2012, um hacker chamado James Zhong conseguiu roubar os fundos do marketplace ao se aproveitar de uma falha no sistema de pagamentos do Silk Road. Em setembro de 2012, ele abriu várias contas no marketplace e depositou pequenas quantias de BTC em suas carteiras digitais, encontrando uma forma de sacar quantias muito maiores rapidamente.

Herói ou vilão?

O fato é que em 4 de novembro de 2021, judicialmente, Zhong se declarou culpado pelo hackeamento e teve os valores em bitcoin confiscados pela polícia.

O Departamento de Justiça dos EUA anunciou a apreensão de 50.676 bitcoins (US$ 3,36 bilhões), cujas chaves privadas estavam armazenadas em dispositivos diferentes espalhados pela casa de Zhong.

Um dos dispositivos se encontrava em um cofre embaixo do assoalho, enquanto outro estava dentro de uma lata de pipoca no armário do banheiro. A apreensão foi considerada a segunda maior da história.

Você pode acessar mais detalhes da condenação clicando aqui.

 

departamento de justiça e o caso de Zhong

 

Assim como esse caso, há inúmeros outros onde o governo americano adquiriu uma quantidade significativa de bitcoins, principalmente por meio de apreensões relacionadas a atividades criminais. Além do Silk Road, o governo dos EUA também já obteve BTCs em um caso “recente” relacionado ao hackeamento da exchange Bitifinex em 2016. Por vezes, o Serviço de Administração de Ativos dos EUA (USMS) mantém e faz leilões periódicos dos bitcoins apreendidos.

 

Caio Goetze

Formado em Direito pela PUC-RJ e pós-graduando em Direito Digital pelo Instituto de Tecnologia e Sociedade (ITS) em parceria com a UERJ, conta com 3 anos de experiência e diversos cursos de formação acadêmica de bagagem no “criptomercado”.

Compartilhe este conteúdo nas redes socias!

Posts relacionados

plugins premium WordPress