Hub Insights

Alameda Research processa Voyager Digital em US$ 445.8 MM!

A Alameda Research entrou ontem com um processo judicial contra a falida Voyager Digital e a HTC Trading em um tribunal em Delaware. De acordo com os documentos anexados, a Alameda afirma ter pagado, à época, todos os empréstimos que devia à Voyager depois que a plataforma de lending entrou com pedido de proteção contra falência em julho de 2022, ainda que alguns destes empréstimos não tivessem vencido no momento da solicitação.

A FTX afirma que pagou US$ 248.8 milhões em setembro e US$ 193.9 milhões em outubro, além de juros de US$ 3.2 milhões em agosto. Agora, pretende reaver esse montante total de US$ 445.8 milhões alegando que, em razão da proximidade das referidas datas de pagamento com a sua própria falência, em novembro, os valores estão elegíveis para recuperação.

De forma mais técnica, o argumento dos advogados da FTX é de que esses fundos podem ser reavidos com “prioridade administrativa” de acordo com as seções 503 e 507 do Código de Falências local (“Bankruptcy Code”). Caso a estratégia seja bem sucedida, a ideia é que os valores sejam utilizados para reembolsar os credores da corretora.

E para ser ainda mais específico, a Voyager tinha 10 folhas de empréstimos diferentes (loan sheets) com a Alameda no momento em que declarou falência. Em vários registros de setembro e outubro, a Voyager alegou possuir FTT e SEM como garantia para os empréstimos feitos à empresa na forma de várias criptomoedas, incluindo bitcoin, Dogecoin, ether, USDC, Litecoin, entre outras. Ativos extremamente ilíquidos e duvidosos.

Desta forma, os advogados da Alameda reconheceram que a empresa usou depósitos de clientes da FTX para realizar investimentos de risco, mas argumentaram que a Voyager e outras empresas de empréstimo de criptomoedas também foram cúmplices no processo, “consciente ou imprudentemente”, financiando a Alameda e alimentando a essa má conduta. O documento do tribunal afirma que o modelo de negócios da Voyager era o de “um fundo alimentador”.

“Ela (Voyager) investiu seu dinheiro (de investidores de varejo) com pouca ou nenhuma diligência em fundos de investimento de criptomoedas como Alameda e Three Arrows Capital. Para esse fim, a Voyager emprestou à Alameda centenas de milhões de dólares em criptomoedas em 2021 e 2022”, diz o documento.

Para acrescentar ainda mais complicação ao caso, lembramos que a FTX.US, divisão americana da FTX, tentou adquirir a Voyager em setembro do ano passado após vencer o leilão com uma oferta de US$ 1.46 bilhões. Ao que tudo indica, o interesse de Sam Bankman-Fried era preservar a estabilidade do próprio token FTT e possibilitar que a corretora continuasse exercendo seu mecanismo de “Low Float, High FDV”. Além disso, destacamos que a Alameda era uma das acionistas da Voyager.

A notícia deste processo entre Alameda e Voyager acontece logo após a FTX conseguir aprovação inicial do tribunal para vender alguns de seus ativos para a Binance.US em um acordo proposto no valor de aproximadamente US$ 1 bilhão.

 

Enquanto isso, atividades suspeitas acontecem em paralelo…

  1. Liquidatários da Alameda perderam US$ 72.000 em tokens AAVE ao transferir fundos para uma única carteira multi-sig centralizada. Hackers também exploraram mais de US$ 1,7 milhão das carteiras da Alameda.
  2. Já a Charity Commission, órgão regulador de caridade na Inglaterra e no País de Gales, também está investigando uma instituição chamada Effective Ventures Foundation, que supostamente teria laços com a FTX e Sam Bankman-Fried.
  3. Promotores Federais escreveram uma carta ao juiz Lewis Kaplan solicitando que ele reconsidere as condições da fiança de SBF para incluir uma proibição de comunicações privadas com atuais e ex-funcionários da FTX e Alameda. O pedido acontece após SBF supostamente procurar um funcionário, Ryne Miller, para tentar influenciar seu futuro depoimento como testemunha.

Nós do Hub do Investidor, te recomendamos as melhores opções do mercado de renda variável, renda fixa e até criptomoedas. Além de te mantermos atualizado(a) sobre as principais mudanças macroeconômicas globais e domésticas. Conheça nossos produtos!

Compartilhe este conteúdo nas redes socias!

Posts relacionados

plugins premium WordPress